Bem-vindo, use nossas ferramentas de acessibilidade.
C C C C
A- A+
Por aí. /Agenda.

Quasar estreia “Carinhosamente juntos”, novo espetáculo que aproxima bailarinos e pessoas com deficiência física

Companhia de dança ainda lançará livro que registra os 34 anos de sua trajetória

27 de junho de 2022
Quasar estreia “Carinhosamente juntos”, novo espetáculo que aproxima bailarinos e pessoas com deficiência física

Foto: Layza Vasconcelos.

Um carinhoso encontro entre os bailarinos da Quasar Cia de Dança e pessoas com deficiências ganhará formato de espetáculo que terá sua estreia nos dias 29 e 30 de junho. “Carinhosamente juntos” é o novo trabalho da companhia goiana que celebra, nos palcos, as singularidades e as diferenças de pessoas unidas pelo desejo compartilhado de dançar e de explorar a potencialidade do corpo de se mover. As apresentações serão às 20h30 no Teatro Goiânia e a entrada custa R$ 40 inteira e R$ 20 meia. Neste mesmo dia, às 19h30, a companhia ainda lançará, no hall do Teatro, livro que registra, em fotos e entrevistas, os 34 anos de trajetória da companhia. O espetáculo conta com o apoio do Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás, enquanto o livro teve apoio da Lei Goyazes.

“Carinhosamente juntos” é o 28º espetáculo da companhia, resultado de um trabalho realizado desde 2019 sob a direção de Henrique Rodovalho, em que os bailarinos da Quasar se encontram com sete pessoas com deficiência selecionadas para esse projeto. O trabalho nasce a partir do desejo dos fundadores Vera Bicalho e Henrique Rodovalho de que a companhia realizasse um projeto social. Para essa criação, a companhia foi orientada por Marlini Dornelas, do Grupo de Dança Diversus e Henrique Amoedo, coreógrafo e diretor da Companhia de Dança “Dançando com a Diferença”, de Portugal. Amoedo é criador e um dos principais responsáveis pela difusão internacional do conceito de Dança Inclusiva. 

Trata-se do encontro de diferentes corpos com total potencialidade que cada um carrega de se mover. Em palco os bailarinos Gabriela Leite, Gustavo Silvestre, Jackeline Leal, Marcella Landeiro e Thais Kuwae se encontram com os residentes Ana Beatriz Dalla Déa, João Victor Frazão de Oliveira, Luciana Potiguara da Silva, Marcos Machado de Oliveira Filho, Pedro Ratters Motta Fernandes, Thallyta Santos Poloniatto e Wendyane Silva Geraldes.

 

O encontro

A primeira etapa, virtual devido à pandemia e que se estendeu até o final de 2021, foi marcada pelos encontros entre os bailarinos da companhia e os residentes. Rodovalho compartilha a importância desse momento, em que as pessoas envolvidas puderam se conhecer cada vez mais a partir da reunião de universos diferentes. “Eu achava importante que fosse um encontro confortável, acolhedor e construtivo a partir das diferenças: dos corpos, pensamentos e condições. A partir dessas diferenças me veio a ideia desse encontro carinhoso em que um contribui com o outro”.

A partir de abril deste ano, os encontros passaram a ser presenciais, quando Rodovalho deu início ao processo de criação, em si, para pensar a narrativa do espetáculo. Exercícios, jogos e brincadeiras entre bailarinos e residentes foram utilizados para que pudessem se conhecer, se tornar mais próximos e íntimos. “Nesse processo fui identificando as qualidades de cada um: isso foi feito pensando para além das deficiências e, no caso dos bailarinos, explorando suas qualidades enquanto pessoas e menos seus movimentos perfeitos e virtuosos”, compartilha o diretor. Ao final desse processo, já não havia mais diferença entre um grupo e outro. O resultado é um encontro carinhoso, lúdico e singelo em um espetáculo emotivo e demasiadamente humano. 

O objetivo da companhia com este trabalho, compartilha Henrique Rodovalho, é o de abrir as portas ao acesso à expressão artística da dança, colaborando para a integração das diferenças na sociedade. “Com essa experiência, pudemos promover um novo convívio social, elevar a autoestima dos artistas envolvidos, criar novas amizades, proporcionar aos residentes estar em cena como profissional, representar politicamente um núcleo de pessoas com deficiência e seus direitos e ultrapassar limites”, comenta o diretor. 

 

Livro

Ao longo de 34 anos de trajetória, a Quasar Cia de Dança soma 27 espetáculos criados, apresentações em mais de 27 países e cerca de um milhão de espectadores brasileiros e estrangeiros ao longo de sua carreira. Estes números refletem como essa companhia cultivou ao longo dessas três décadas a reputação de uma das mais reconhecidas companhias de dança contemporânea do cenário goiano, nacional e internacional.  A história dessa caminhada está registrada no livro “Quasar Cia de Dança – 34 anos”, que será lançado nestes mesmos dias 29 e 30 de junho. 

O livro reúne seus fundadores, Vera Bicalho e Henrique Rodovalho, em fotos e textos,  que somam mais de três décadas de dedicação exclusiva à arte e à dança contemporânea:  três décadas de trabalhos criativos e orgânicos para a permanência e o desenvolvimento de um grupo cuja existência é baseada nas relações de afetividade, de afinidade, entre pessoas, ideais e expectativas de tornar possível o trabalho artístico profissional no Brasil.

Este projeto foi iniciado em 2008, realizado em etapas e atropelado por uma pandemia. Mas resistiu. Textos e fotos foram reunidos, pesquisas e entrevistas realizadas e a proposta editorial foi concebida. Os escritos vão desde um breve histórico das suas origens e protagonistas, situando a vida cultural goianiense e algumas entrevistas realizadas com a participação de espectadores contumazes dos espetáculos da Quasar. 

Fotografias dos vários espetáculos da Companhia e textos foram reunidos a partir de uma concepção editorial desenvolvida em sintonia com a linguagem visual e gestual da companhia que tanto a caracteriza, correlacionando o movimento das páginas com o movimento dos corpos da Quasar.

A história narrada pela coordenação editorial dos professores Maria das Graças Monteiro Castro e André Barcellos Carlos de Souza, da Universidade Federal de Goiás, precisava ser contada para além das palavras e precisava proporcionar, a cada virada de página, a cada recorte, a emoção que um espetáculo da Quasar promove. 

A forma desse registro histórico em papel e tinta é precária no sentido de reconhecer que a experiência do espetáculo da Quasar é insubstituível porque transitória, efêmera e defectível, e, por isso, muito mais viva, real, concreta e imperecível.

 

Serviço: Quasar Cia de Dança estreia “Carinhosamente Juntos” e livro que registra 34 anos de trajetória da companhia

Datas: 29 e 30 de junho

Horário: 19h30 (lançamento do livro) e 20h30 (espetáculo)

Local: Teatro Goiânia, Centro

Entrada: R$ 40 inteira e R$ 20 meia. Na compra de dois ingressos, inteira, ganha-se um exemplar do livro – limitado a 50 livros. 

Ingressos: https://www.sympla.com.br/quasar-cia-de-danca-apresenta-carinhosamente-juntos__1619590 

 

Texto: Ana Paula Mota | Nádia Junqueira Ribeiro.
Fotos: Layza Vasconcelos.

Redação Antes do Ponto Final

Baixe o e-book e saiba mais sobre.