Call us toll free:
Best WP Theme Ever!
Call us toll free:
08 fev 2018
Comments: 0

Exposição aborda espiritualidade de matriz africana em Minas Gerais

O Centro Cultural da Universidade Federal de Goiás (CCUFG) abre na terça-feira (6/2), às 19h30, a exposição Na Angola tem: Memórias e Cantos do Moçambique do Tonho Pretinho, que reúne fotografias de Marcelo Feijó. Na ocasião, haverá também a estreia do documentário Na Angola tem, de Talita Viana e Sebastião Rios e o lançamento do livro (com CD e DVD) Na Angola tem: Moçambique do Tonho Pretinho, da autoria de Talita Viana e Sebastião Rios com fotografias de Marcelo Feijó e Diana Landim.

O trabalho multimídia mostra a atuação do Moçambique do Tonho Pretinho no Congado. A festa religiosa acontece em Itapecerica, Minas Gerais, e celebra os antepassados, as forças da natureza, divindades afro-brasileiras e santos católicos de devoção negra. A mostra seguirá em cartaz na Galeria do CCUFG até dia 16/3.

Assinada por pesquisadores da UFG e da Universidade de Brasília (UnB) que integram o Grupo de Pesquisa “Música, Sociedade e Performances”, a iniciativa tambémé fruto de ação realizada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em parceria com a UFG no projeto “Salvaguarda do patrimônio cultural imaterial relacionado à música, canto e dança de comunidades afrodescendentes na América Latina”, coordenado pelo Crespial/Unesco.

O Projeto

As várias ações do projeto Memórias e cantos do Moçambique do Tonho Pretinho convergem para seu principal eixo, que é a salvaguarda e divulgação das concepções religiosas e das práticas culturais próprias dos descendentes de africanos na América, mostrando a tradição das danças, dos ritmos, das concepções religiosas e dos sentidos dos cantos presentes no Congado; sentido que, embora ligado à memória ancestral, se atualiza em cada edição da festa.

Nas cerimônias de coroação de reis congos nas festas de Nossa Senhora do Rosário, os tambores e as danças invocam de um modo africano os santos católicos e conferem a seu culto desdobramentos e significações novas nesta manifestação híbrida do catolicismo negro de raiz banta no Brasil. Na festa, os principais santos homenageados são Nossa Senhora do Rosário, São Benedito, Santa Efigênia e Nossa Senhora das Mercês. Os santos têm sua corte composta por rei e rainha congos, perpétuos, e rei e rainha eletivos, tradicionalmente de promessa. Os ternos − moçambique, catopé, vilão, congo, marinheiro etc − “trabalham” para os santos, tocando, cantando e dançando na rua e nas casas. Durante sua evolução, o capitão canta os versos e os demais componentes respondem em coro. Os capitães vão tirando os versos para as várias funções − visita aos festeiros, busca dos mordomos para o levantamento dos mastros, acompanhamento de reis e rainhas, cortejo da princesa Isabel, que também passa a ser homenageada em algumas localidades nas comemorações da abolição.

Por ser a guarda preferida de Nossa Senhora do Rosário − aquela que retirou Nossa Senhora do mar, num episódio fundador que caracteriza a identificação da santa com a humildade e o sofrimento dos escravos −, o Moçambique é o principal responsável pela preservação dos mistérios e da sacralidade da festa. Por isso, tem primazia nos cortejos.

Folia de Reis

Na oportunidade da abertura da exposição, será apresentado ainda o livro (com CDs) Toadas de Santos Reis em Inhumas, Goiás: tradição, circulação e criação individual, da autoria de Sebastião Rios e Talita Viana e fotografias de Rogério Neves, que apresenta 40 toadas de Santos Reis e traz uma discussão sobre a criação individual em manifestações coletivas tradicionais e difusas e suas implicações para o direito autoral. O livro e CDs foram realizados pela UFG com o apoio do Programa de Extensão Universitária do MEC/SESu e do IPHAN/MinC e ainda do Fundo de Arte e Cultura da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte do Estado de Goiás.

Serviço:

Exposição Na Angola tem: Memórias e Cantos do Moçambique do Tonho Pretinho.

Local: Galeria do Centro Cultural UFG – Avenida Universitária, n° 1553, Setor Leste Universitário.

Data: De 6/2 a 16/3.

Abertura: 19h30.

Visitação: Gratuita. De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e de 14h às 18h.

 

Ficha Técnica:

Exposição Na Angola tem: Memórias e Cantos do Moçambique do Tonho Pretinho

Fotografias: Marcelo Feijó, com fotos adicionais de Diana Landim e Rafael Sávio

Curadoria e projeto expográfico: Carlos Ferreira

Documentário Na Angola tem

Direção: Talita Viana e Sebastião Rios

Direção de fotografia e montagem: Diana Landim

Contatos: sebastiaorios@gmail.comtalitaviana@gmail.commfeijo@unb.br


08 fev 2018
Comments: 0

Mostra “O Amor, a Morte e as Paixões começa dia 7

A 11ª Mostra de Cinema “O Amor, a Morte e as Paixões” teve início nesta quarta-feira (7), no Cinema Lumière do Shopping Bougainville. Até o dia 21 de fevereiro, serão exibidos 115 filmes de 36 países em mais de 400 sessões, entre as quais produções independentes realizadas em Goiás – muitas que celebram os 40 anos do Cineclube Antônio das Mortes – além de dois clássicos de Fellini e vencedores e integrantes de seleções oficiais de festivais internacionais como os de Cannes, Veneza, Berlim, Sundance, São Paulo e Rio de Janeiro.

O curador da Mostra é o professor da Faculdade de Informação e Comunicação da UFG, Lisandro Nogueira. De acordo com o professor, o evento esse ano vai trazer mais de 20 filmes inéditos no Brasil, que serão exibidos aqui antes de irem para os circuitos nacionais. “Vamos rodar mais de 100 filmes, de indicados ao Oscar até filmes cult, todos premiados nos grandes festivais de cinema do mundo. Além disso, vamos contar com diversos atores, diretores e professores de cinema”, conta.

Confira AQUI a programação completa da Mostra.

 

Fonte: Com informações do Adufg Sindicato.


23 jan 2017
Comments: 0

Espetáculos gratuitos no parque

Projeto Domingo no Parque oferece espetáculos gratuitos

Atividade tem apoio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura da Prefeitura de Goiânia e prevê apresentações nos dias 22 e 29 de janeiro e, ainda, no primeiro domingo de fevereiro, dia 05. Opção de lazer é gratuita

A edição 2017 do Projeto Domingo no Parque já tem na programação três espetáculos previstos para ocorrerem a partir deste domingo, dia 22 de janeiro. A Cia. Teatral Oops!… é a responsável pelas performances teatrais, montadas com apoio institucional da Lei Municipal de Incentivo á Cultura da Prefeitura de Goiânia. Proposta tem como objetivo a ocupação artística dos principais parques de Goiânia, criando uma programação teatral gratuita aos domingos em espaços de convivência coletiva da cidade, permitindo acessibilidade cultural para diversas camadas da sociedade.

No dia 22 de janeiro, às 10 horas, será realizada a apresentação do premiado espetáculo Desamor, no Parque Areião. No dia 29 de janeiro, é a vez da comédia Mateus e Mateusa roubar a cena no Parque Flamboyant, às 17 horas. Já no primeiro domingo de fevereiro (dia 05), acontecerá a apresentação da peça Arruda com Alecrim, às 10 horas, no Bosque dos Buritis. Todas as apresentações são gratuitas e abertas a todas as idades.

Sinopses
Desamor – Peça narra a história do jovem Cândido, que se apaixona à primeira vista pela exuberante Anita, a qual nutre sentimento recíproco por seu amado. Porém, o amor não deixa sobreviventes. Anita se vê impelida a abandoná-lo, em busca de conhecer a si mesma e ao mundo, e Cândido nada faz para impedir a partida de sua amada. Daí, então, seu coração torna-se um vazio tão imenso quanto um deserto, seco e árido, sem sentido. É assim que Cândido resolve partir em busca de sua amada em uma jornada que o levará a um mundo desconhecido, habitado por seres fantásticos.

Mateus e Mateusa – Espetáculo coloca em cena um divertido casal idoso que, após 50 anos de união, vive em pé de guerra. Cansados um do outro, acusam-se mutuamente de abandono. De um modo quase farsesco, a peça aborda em cena a convivência familiar, suas relações, o consumismo e a futilidade.

Arruda com Alecrim – A peça tem como cenário uma pequena cidade do interior de Goiás e narra a história de duas famílias que, separadas pelo poder e a pobreza, unem-se através do amor proibido de seus filhos. Mariquinha, a menina princesa, e Zezinho, o filho do sapateiro, vivem história semelhante ao clássico amor de Romeu e Julieta.

Serviço
Assunto: Projeto Domingo no Parque
Dia 22/01 (Domingo), às 10h – Desamor (Parque Areião)
Dia 29/01 (Domingo), às 17h – Mateus e Mateusa (Parque Flamboyant)
Dia 05/02 (Domingo), às 10h – Arruda com Alecrim (Bosque dos Buritis)

Legendas:
Foto: Arruda com Alecrim
Fonte: Prefeitura de Goiânia


14 out 2016
Comments: 0

Anton Roos lança seu terceiro livro

“Quando os pelos do rosto roçam no umbigo” | Anton Roos lança seu terceiro livro

E temos novidades do escritor mais charmoso de todo o oeste baiano (e colunista do Blog da Immagine)! Anton Roos está lançando seu terceiro livro, “Quando os pelos do rosto roçam no umbigo”. A obra fala sobre o amor não compartilhado, a perda, a desistência e a solidão, com aquele jeitinho caraterístico com que Anton escreve.

O romance conta a história de Andrei, um homem solitário e atormentado pelo fantasma de seu primeiro casamento e pelo fim de um relacionamento conturbado com uma mulher mais jovem. Desiludido e sem esperanças, ele adquire um estranho objeto para ajuda-lo com a mais importante e radical decisão de toda sua vida. Porém, após visitar uma casa de prostituição, conhece uma garota de programa chamada Bruna, e, aos poucos, a sucessão de erros cometidos por ele no passado e suas pretensões de futuro deixam de fazer sentido, fazendo com que sua vida ganhe novos contornos.

Confira abaixo a entrevista exclusiva que fizemos com Anton para descobrir um pouco mais sobre sua nova obra. E já pode escrever no caderninho: você vai ficar morrendo de vontade de ler o livro!

*

Suas primeiras linhas foram escritas em 2014, como conta o próprio Anton. “As primeiras coisas que escrevi para esse livro, a princípio, tinham uma conotação quase autobiográfica, no entanto, logo percebi que a história precisava seguir seu próprio rumo”, conta o escritor. “À época foi algo que eu precisava extravasar tipo numa espécie de desabafo que, no meio da madrugada, a gente faz na frente do espelho depois de chegar bêbado em casa”, disse. Mesmo com o início levado para o lado autobiográfico, no momento certo tais características passaram a ser apenas inspiração.

O livro mescla personagens com sutis apropriações de algumas pessoas que fazem parte da vida do autor, o que é natural para Anton que acredita que a inspiração está e precisa estar em todo lugar.

Mesmo falando sobre o amor, “Quando os pelos do rosto roçam no umbigo” não trata de amores clichês, pares perfeitos ou caras metade. Anton conta que “o livro fala daquele amor que se vive, se sente, mas muitas vezes não se pode compartilhar. Aquela espécie de amor que te consome e te impede de seguir em frente”.

O terceiro livro de Anton Roos marca sua permanência na ficção, já que seu segundo livro, “A revolta dos pequenos gauleses”, foi seu primeiro passo no gênero. O primeiro livro, “A gaveta do alfaiate”, é uma coletânea de crônicas. O escritor acredita que se não fossem as duas obras anteriores, provavelmente este terceiro não existiria e fala, ainda, sobre a importância deste último. “Talvez por ser um romance, esse novo livro tenha um significado ainda mais especial. Foi um livro difícil de escrever. Acredito que como tudo na vida tem sua hora de ser, esta é a hora para esse livro”, conta Anton.

Em conversa sobre o mercado editorial brasileiro, Anton o analisa atualmente como seletivo, acirrado e controlado por uma minoria que geralmente define o que é bom e o que não é bom para chegar às prateleiras das principais livrarias.

O escritor participou de um concurso de uma editora de pequeno a médio porte do Rio de Janeiro que teve mais de 500 inscrições para seleção de duas obras. “Infelizmente, as editoras maiores apostam muito pouco em novos talentos. E ai se não houver um bom apadrinhamento as chances se reduzem ainda mais. Felizmente, existe um mercado alternativo muito forte e crescente, mantido por gente que ama a literatura e ainda consegue dar suporte para uma quantidade considerável de publicações”, conta.

Anton publicou seus dois primeiros livros apenas com o suporte técnico de edição feito por uma editora pequena sediada em Luís Eduardo Magalhães, mas os custos ficaram mesmo por sua conta. O autor contou seus planos para a terceira obra: “Para esse terceiro livro, nesse primeiro momento, o foco é o lançamento em formato digital e ocasionalmente, quem sabe, abrir espaço para uma tiragem limitada em formato físico”, conta.

Como comprar um exemplar de “Quando os pelos do rosto roçam no umbigo”?
Começou dia 13 de outubroa pré-venda do livro em formato de E-book. Você pode adquirir seu exemplar inicialmente até o dia 29 de outubro, pelo site da Amazon e com preço promocional: https://goo.gl/VvlWgO

A ideia é lançar o livro também na versão impressa, mas ainda não há data confirmada para isso.

Você se interessou pelo livro, pela pré-venda ou até mesmo pela ideia de uma tiragem impressa? Então você precisa acompanhar as novidades a respeito da nova obra de Anton Roos.

Que tal assistir ao próprio autor falando sobre “Quando os pelos do rosto roçam no umbigo” no Facebook? Ele estará ao vivo na fanpage da Immagine neste sábado, às 11h! Já marque na sua agenda e não perca o horário!

“Escrever é traduzir os detalhes da vida. Seduzir por meio de palavras. Preencher as lacunas, os vazios. Escrever é uma experiência sem igual, até mesmo difícil de descrever. Quando você escreve muito, você acaba se isolando em um universo todo seu. Único. Cheio de sonhos e aspirações. Escrever é viver. Tentar tornar a vida das outras pessoas menos estafante. Escrever é estar vivo. Respirando”. (Anton Roos)

Live com Anton Roos na fanpage da Immagine
Dia: Sábado, 15 de outubro
Horário: 11h

Fonte: Immagine.
Leia aqui a matéria no blog da Immagine: goo.gl/vho5jC.


13 set 2016
Comments: 0

Concertos na cidade

Pessoal de Goiânia, a Orquestra Filarmônica de Goiás se apresenta no dia 15 de setembro, às 20h30, no Palácio da Música do Centro Cultural Oscar Niemeyer. Essa apresentação integra o o espetáculo Vida na Cidade, da série Concertos Especiais, e terá como regente o maestro Neil Thomson..

De acordo com o evento no Facebook, “serão apresentadas composições que homenageiam grandes cidades do mundo. Mozart homenageia a cidade luz com a Sinfonia Paris. Já o compositor norte americano Reich faz um tributo à Nova York com sua obra “City Life”. A abertura de Cockaigne, do compositor inglês Elgar, condecora a cidade de Londres”.

A ENTRADA É FRANCA! Vamos?


28 ago 2016
Comments: 0

Workshop de Escrita da Amazon Brasil

Oi pessoal, tudo bem?

Criei esse espaço novo no blog para falar e divulgar eventos de literatura, escrita e tudo que tem a ver com o Antes do Ponto Final.

E o texto de estreia é sobre o Workshop de Escrita e Publicação Independente do  Kindle Direct Publishing (plataforma de autopublicação da Amazon Brasil) que está disponível para assistir no Youtube. O evento foi realizado em junho, no Rio de Janeiro, para autores interessados em aprender melhores técnicas de escrita e dicas sobre publicação de livros independentes.

Dentre os participantes, estão os autores Luiz Ruffato, vencedor do Prêmio Internacional Hermann Hesse 2016 e do Prêmio Jabuti 2015 na categoria infantil e Affonso Solano, autor do livro O Espadachim de Carvão e do podcast de humor Matando Robôs Gigantes, do blog Jovem Nerd. Além deles, o evento trouxe autores que iniciaram suas carreiras publicando seus livros de forma independente com o KDP e que atingiram amplo público, como FML Pepper (trilogia Não Pare!), Nana Pauvolih (série Segredos) e Daniel Cariello (Chéri à Paris – Um brasileiro na terra do fromage).

Vale a pena conferir!

Clique aqui e veja o vídeo.

 

 

Texto com informações da Amazon Brasil.